Mas então, posso comer o quê? - Daniela Alves
Onde meus mundos se encontram
7 de junho de 2018

Mas então, posso comer o quê?

Essa é sem dúvida a pergunta que mais respondi nos últimos 8 anos. Não apenas como profissional que hoje em dia estuda o assunto com paixão e que ajuda a quem quer seguir o caminho Low Carb e pensar em Medicina Funcional, mas como pessoa que mudou completamente os hábitos alimentares.

Resolvi fazer uma lista dos alimentos do meu dia-a-dia, vamos dizer que 90% dos ingredientes estão aqui. Variam os preparos:

  • água (com gás ou sem);
  • café
  • manteiga
  • azeite de oliva
  • óleo de coco
  • nata
  • queijo – todos os tipos disponíveis
  • nozes – oleaginosas em geral e suas manteigas
  • alface
  • rúcula
  • agrião
  • tomatinhos
  • cebola
  • alho
  • cheiro-verde
  • abobrinha
  • moranga
  • couve-flor
  • brócolis
  • couve-folha
  • beringela
  • ovo – preparado das mais diversas maneiras
  • carne/peixe/frango – mais carne moída pela praticidade no preparo
  • bacon – já foi mais no passado
  • avocado
  • coco seco
  • frutas vermelhas – morango e mirtilos
  • temperos dos mais variados, os secos e os frescos

Se vou a um restaurante à quilo? Fácil de optar e aqueles que servem churrasco, moram no meu coração.

À la carte? Mais fácil ainda.

Hambúrguer? Peço sem pão.

Pizza? Como o recheio.

Se estiver em um lugar completamente sem opção? Sou adaptada o suficiente para ficar em jejum até encontrar uma opção, mas para quem ainda está começando dou sempre duas dicas:

  • Sempre faça uma refeição proteica antes de sair
  • Tenha sempre alguma estratégia – por vários anos sai de casa com 30 gramas de oleaginosas na bolsa

Era isso, variações sobre o mesmo tema, nada demais.

Sem fome.

Sem invenções.

Foca no objetivo e vai!

Sabe a zona de conforto? Pois é, é lá mesmo que nada acontece ;)