O que é Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e como tratar.
Burnout: Síndrome do esgotamento, o que é e como tratar.
13 de junho de 2017
Saiba tudo sobre Dieta Low Carb
5 de agosto de 2017

O que é Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e como tratar

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

DPOC é abreviação para Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, que é a doença pulmonar onde existe uma dificuldade do ar em sair dos pulmões causada quase que na sua totalidade pelo consumo do tabaco. Há dois quadros que podem coexistir na DPOC: Enfisema Pulmonar, onde o principal sintoma é a dispneia (falta de ar) e a Bronquite Crônica, onde o principal sintoma é tosse com expectoração.

Os sintomas da doença vão se estabelecendo aos poucos e por um mecanismo de negação, o fumante às vezes não acredita que os sintomas tenham relação direta com o cigarro.

O diagnóstico é feito com a história clínica, exame físico, cálculo da carga tabágica, avaliação da função pulmonar e um exame de imagem do tórax. Dessa maneira conseguimos estabelecer a gravidade e partir para a escolha do melhor tratamento.

É importante estabelecer que se o paciente ainda for fumante, é preciso parar de fumar. Uma grande parte do tratamento da DPOC é a cessação do tabagismo – não há como escapar disso.

Para isso, disponibiliza-se para o paciente todas as abordagens terapêuticas para suspender o tabagismo – sem ou com medicação.

Independente de como vamos tratar o tabagismo, o tratamento específico para a DPOC deve iniciar imediatamente.

Além da avaliação inicial, é preciso detectar a coexistência ou não de uma infecção bacteriana, que vai determinar o uso ou não de antibiótico.

Para o tratamento da DPOC há vários tipos de dispositivos inalatórios, cada um com vários tipos diferentes de medicações, sendo as principais os corticóides inalatórios, os broncodilatadores de curta e longa duração e os anticolinérgicos. Todos com um mesmo objetivo: liberar a passagem do ar nos brônquios.

Uma vez diagnosticada a DPOC, essa é uma condição crônica, que vai necessitar de medicação a longo prazo e de acompanhamento de rotina pelo menos semestralmente e com atendimentos extras nas exacerbações infecciosas. Quanto mais se espera para começar a tratar uma crise, mais difícil e mais medicações serão necessárias para que o paciente volte para seu estado anterior de DPOC estável.

Além de cessar o tabagismo e usar corretamente as medicações, é importante estabelecer hábitos mais saudáveis tanto alimentares, quando de rotina de atividade física. A Reabilitação Pulmonar é uma grande aliada na melhora da qualidade de vida desses pacientes.

Agende sua consulta